Postagem em destaque

Rock on Stage: "Tales Of The Dark Cult " entre os melhores lançamentos nacionais do ano de 2015.

RATTLE citado entre os melhores lançamentos nacionais do ano de 2015!! "No lado do Thrash Metal então é quase um ultraje citar alg...

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

UNITED FORCES 10 - 09/02/2019


O evento UNITED FORCES está de volta em sua décima edição. O evento será realizado no espaço Buk Porão, localizado na Rua do Passo, no Pelourinho,e está programado para começar a partir das 15:00. 
Abrindo o evento teremos a banda de Thrash Metal Unkilled, seguida pela Indominus, do veterano vocalista Pitanga, que vai pratica Heavy Metal, e encerrando com RATTLE e seu Thrash Death Metal.

UNITED FORCES 10
09 de Fevereiro de 2019
Bandas: Unkilled | Indominus | RATTLE.
Local: Buk Porão - Rua do passo, Pelourinho.
Entrada: R$10 - Horário: 15hs.
Info: rattlemetal@gmail.com 
 

terça-feira, 30 de outubro de 2018

V GRAPIUNA ROCK


A 5ª edição do GRAPIUNA ROCK CONFIRMADA e está logo aí, na porta !!!
Realizado desde 2014, o GRAPIUNA ROCK chega em sua quinta edição no próximo dia 10 de NOVEMBRO e acontecerá, mais uma vez, no Grapiúna Tênis Club..
DATA: 10/11/2018 SÁBADO
LOCAL: Grapiúna Tênis Club (Próximo a rodoviária de Itabuna)
INGRESSOS: R$ 20,00
HORÁRIO DE INÍCIO: 19h
BANDAS:
-- MATINA
-- JACAU
-- RATTLE
-- LOCOMOTIVA
-- AYAM UBRÁIS BARCO E O BANDO DO MAR

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Resenha: Rattle – Tales Of The Dark Cult (2015)


Por Bruno Rocha. Publicado originalmente no site Roadie Metal.

8.5/10
 
Senta que lá vem a história!

Não! Mas essa história não era daquelas que você assistia no programa Ra-Tim-Bum da TV Cultura não! Esta história, na verdade histórias, são contos negros e aterrorizantes! Tanto que quem dá início a elas é ninguém menos que Josefel Zanatas, vulgo Zé do Caixão, com sua clássica fala no começo de À Meia-Noite Levarei Sua Alma (1964).
Também duvido muito que você as ouça sentado. Até porque sua trilha sonora é um violento e agressivo Thrash Metal, com pitadas aqui e acolá de Death Metal, que trazem aquele aroma nauseabundo do estilo, típico do começo dos anos 90. Os responsáveis por tal carnificina vêm da Bahia e atendem pelo nome de Rattle.
Formada no ano de 2009 na capital soteropolitana, a banda formada por Valmar Oliveira (vocais), Henrique Coqueiro (guitarras), Daniel Iannini (contrabaixo) e Eric Dias (bateria) entrou no Revolusom Studio e saiu de lá no ano de 2015 com seu primeiro full-length, intitulado Tales Of The Dark Cult, que foi lançado em parceria com a Shinigami Records. As 11 composições contidas neste álbum totalizam 56 minutos de carnificina sonora e sonoridade crua, o que não impediu a banda de inserir arranjos mais elaborados e momentos com timbragens limpas, enriquecendo a salada musical e a atmosfera das composições.
Como prenunciado no começo deste parecer, o som do Rattle obedece a cartilha brasileira do Thrash Metal, com timbragens sujas e pesadas que remetem o ouvinte a grandes nomes nacionais dos anos 80 como Chakal e andamentos que lembram o Attomica, junto com elementos Death Metal que reforçam o clima porulento do som. Os vocais guturais de Valmar Oliveira são simplesmente aterrorizantes, como legião de demônios que berram em desespero dentro de uma caverna mal iluminada de vermelho-sangue. As guitarras de Henrique Coqueiro apresentam riffs e arranjos bem elaborados que se apoiam com segurança na retaguarda de Daniel Iannini e na boa técnica de Eric Dias.
Os elementos Death Metal no instrumental aparecem com muita força na faixa que abre o disco, Embodiment Of Evil, que vem seguida pela variada e bem arranjada The End. A banda mostra sua técnica e perícia com arranjos melódicos em Semper Fi e Call Of Duty, antes de voltar a prezar pela destruição na tiro-curto Operation Exterminate! A atmosfera sombria e calculista toma conta de Whispers com intervenções de timbres limpos e Last Standing Man apresenta o lado prog da banda com compassos quebrados. Nesta, este relator sentiu uma certa confusão na parte final pois a bateria e as cordas não parecem não concordar onde está a cabeça do tempo. Buchos que surgem quando a banda escolhe fazer uma gravação mais orgânica e natural; muito melhor do que certas produções que mais parecem folhas de alumínio. Vide o timbre da bateria de Eric Dias: microfonou, pronto! E o homem destrói em sua performance!
50 centavos de Iron Maiden com mais 25 de Satan aparecem na introdução de Pay To Enter, Pray To Exit, que também se mostra bastante variada exaltando assim a criatividade da banda. A oitentista Hell Of The Living Dead destrói pescoços (lembra que não era para ouvir essa história sentado?). Uma possibilidade de descanso surge no interlúdio clássico e soturno Insomnia (The Sleep Of Reason Produces Monsters), antes do grande final com a pedrada de oito minutos The Dark Cult, encerrando assim os contos negros e cabulosos.


A produção e mixagem, como já dito aqui, deixaram o som de Tales Of The Dark Cult cru, dando a impressão de que estamos ouvindo a banda ao vivo. Isso favoreceu o lado humano das composições e execução de arranjos, além de ter realçado o clima terrorista e intimidador de várias passagens do disco. Após essa seção de histórias e de tortura sonora (no melhor sentido, é lógico), é hora então de sentar realmente e descansar. Ou então dar repeat e começar tudo de novo, caso, e muito provável, você esteja inebriado com o som do Rattle. Afinal, estamos em um ciclo; a vida é o princípio da morte. E a morte, é o fim da vida. Viva e morra com o Rattle!

Tales Of The Dark Cult – Rattle (Shinigami Records, 2015)
Tracklist:
01. Embodiment Of Evil
02. The End
03. Semper Fi
04. Call Of Duty
05. Operation Exterminate!
06. Whispers
07. Last Man Standing
08. Pay To Enter, Pray To Exit
09. Hell Of The Living Dead
10. Insomnia (The Sleep Of Reason Produces Monsters)
11. The Dark Cult
Line-up:
Valmar Oliveira – vocais
Henrique Coqueiro – guitarras
Daniel Iannini – contrabaixo
Eric Dias – bateria



terça-feira, 29 de maio de 2018

SALVADOR UNDERGROUND Inc.



Dia: 07 de Julho de 2018
Bandas: RATTLE, The Crypt, Death Tales, Aqueronte
Hora: 20:00 hs
Onde: Avenida Amaralina, 24
Local: Antigo Tchê Nightclub
Cidade: Salvador/Bahia
Ingresso: R$15.00



segunda-feira, 17 de julho de 2017

George A. Romero (04/02/1940 - 16/07/2017)



Hoje é um dia triste para nós, fãs do cinema de horror, e fãs da obra do mestre George Romero. A obra do mestre, em especial sua trilogia inicial sobre os mortos, são uma fonte de inspiração para o RATTLE.



Deixamos aqui registrado nossa homenagem, e nossos pêsames pela morte desse grande gênio criativo.


terça-feira, 25 de abril de 2017

Review de "Tales of the Dark cult" no site ARENA METAL PE

por Léo Quipapá

Banda: RATTLE

Categoria: Thrash/Death Metal

Ano: 2015

Quando você saca um álbum com encarte, letras e figuras fica até mais fácil de entender a temática do mesmo, mas o que o RATTLE fez foi colocar mel na cachaça e facilitar demais a degustação. O cd é composto por 11 faixas, divididas em cinco blocos distintos.

O cd inicia com a famosa citação de Zé do Caixão (ou Coffin Joe, como queiram) sobre o existencialismo. Daí os caras traduziram para o inglês e mandaram as ideias na letra. E aqui vai um destaque especial para Val Oliveira, que além de ter um vocal muito poderoso, tem uma mente doentia e criativa para as letras. Em "The End" os caras começam com influências do Obituary, mas com um baixo de Daniel Iannini bem mais destacado. O refrão é bem simples e te faz cantar fácil.

O bloco dois inicia com um cântico militar. "Semper Fi" e "The Call pf Duty" exploram a temática bélica onde, na primeira a batera de Eric Dias usa e abusa de contratempos, enquanto na segunda, com título inspirado no famoso game, Henrique Coqueiro sola, riffs e alavanca sem piedade.
O terceiro bloco não inicia com vinheta mas já chuta tudo na curta

"Operation: Exterminate!", que é seguida por um sussurro que introduz "Whispers", sendo que esta se divide em três atos ao falar do sobrenatural. O início dela até lembra um pouco do Slipknot, mas os caras alinham o trem, jogam uma pitada de progressivo, uma dose sutil de King Diamond e garantem um dos destaques do cd!

Seguindo para o bloco que trata de medo e ameaça, "Last Standing Man" tem uma letra digna de um filme de ficção, mas também pode ser encarada como um grito desesperado de um suicida. Outra faixa interligada à sétima arte é "Pay to Enter, Pray to Exit", título do cult filme de terror dos anos 80, com direito a vinheta do filme no início da faixa.

Outra vinheta de filme inicia o último bloco, este mais focado no ocultismo. A primeira faixa da sequencia, "Hell of The Living Dead", título de um filme mais trash também dos anos 80, lembra bem o thrash/death do Torture Squad. A instrumental "Insomnia: The Sleep of Reason Produces Monsters" tem orquestração e tudo para deixar o clima mais assustador. O cd encerra com "The Dark Cult", que é cheia de quebradas insanas, principalmente no final, com a colagem de um discurso e um solo muito forte de Henrique.

Quer uma dica? Não olhe a capa e ouça sem medo.

Cheers!!!!


Publicado originalmente em outubro de 2016 no site Arena Metal PE

Entrevista para o site ARENA METAL PE


Entrevista por Léo Quipapá

Arena Metal PE - Primeiramente, parabéns pelo "Tales of The Dark Cult". Quem teve a idéia de criar um trabalho dividido em blocos como foi esse??

RATTLE: Val Oliveira: Olá! É uma honra estarmos participando deste renomado site. Obrigado pela ótima resenha. Sobre o cd, estamos colhendo bons resultados de um trabalho que demorou um bom tempo para sair. Mas vamos lá! Eu sou o letrista da banda e crio toda parte conceitual por trás da banda, tanto visual quanto liricamente. A ideia é que o cd fosse uma espécie de trilha sonora e na hora de montar o tracklist foi resolvido que as faixas com ligações temáticas deveriam estar juntas. Então as primeiras falam sobre niilismo e entropia, depois faixas sobre guerras, e por aí vai. Os samplers já usávamos em alguns shows, para criar um clima mais especial, mas depois fomos abandonando e só usamos uma intro atualmente, dando mais atenção às musicas mesmo.

Arena Metal PE - A primeira faixa do cd de vocês foi extraída da famosa citação de Zé do Caixão sobre o existencialismo. Em algum momento vocês pensaram em fazer um cd conceitual apenas sobre a obra dele?

RATTLE: Bem, eu sou fã da obra do grande Mojica Marins. Já pensei em fazer algo relacionado com ele, e cheguei a pedir permissão para a família para usar a imagem, voz dele no cd, e num clipe que está em nossos planos. Por enquanto estamos compondo material novo, mas não temos planos de fazer algo conceitual. O mais provável é que role mais uma faixa dedicada ao trabalho dele, seja como Zé do Caixão, à vasta filmografia dele, ou até mesmo à vida dele, que por si só já merecia um filme ou uma minissérie mais extensa e fiel do que a que foi apresentada no canal Space.

Arena Metal PE - Do som de vocês dá pra notarmos influências de bandas mais old school como Obituary e Unleashed mescladas com coisas mais novas como Torture Squad. Quais outras influências vocês exploram no som do Rattle?

RATTLE: Ouvimos muita coisa diferente, do Hard Rock ao Black Metal, passando pelo Metal tradicional, Prog, Thrash, etc. Mas sempre vamos compondo à partir de ideias e adicionando elementos, sem medo de soar diferente. Creio que bandas como Sepultura, Death, Megadeth, Atheist e Nile podem ser citadas como influências, embora não fiquemos presos a um só estilo.

Arena Metal PE - Em alguns momentos, como em "Whispers", vocês até flertam com algo mais progressivo e lembra King Diamond num interlúdio. Vocês curtem esse tipo de criação ou foi difícil algo assim e não farão futuramente?

RATTLE: Whispers é uma faixa antiga, que por sinal já foi bem maior do que ela é hoje em dia, e sempre teve trechos diferenciados. É algo que pode ser feito novamente, pois adoro o clima de filmes antigos de terror e sempre procuro que as músicas tenham um clima ou citação. Alguns sons novos contam com trechos “calmos”, como interlúdios.

Arena Metal PE - Outra sacada muito massa de vocês foi em "Pay to Enter, Pray to Exit" e em "Hell of The Living Dead". Até que ponto filmes de terror permeiam as composições de vocês? Tem mais algum tema similar sendo trabalhado?

RATTLE: Sim, como fã, colecionador e entusiasta de Histórias em quadrinhos, filmes de terror e ficção sempre faço adaptações ou faço referencias a filmes e tudo o mais. Já faz parte de mim e acaba sendo parte do conceito lírico e temático da banda, e as novas músicas já fazem homenagens a filmes dos anos 70 e 80. Inclusive, na época que lançamos o split “Pain is Inevitable” já tivemos alusões à obra de George Romero, Ruggero Deodato e Lucio Fulci na parte visual do encarte. Quanto às novas faixas, já tem até no youtube a faixa “Blind Terror”, que é inspirada na quadrilogia dos Mortos Cegos, do diretor espanhol Amando de Ossorio. Para quem não conhece, recomendo ao menos o primeiro filme, que é estupendo!

Arena Metal PE - Como foi à aceitação do público e da crítica com este cd? Atingiu as expectativas que vocês tinham?

RATTLE: O público tem recebido muito bem, assim como a crítica, com reviews totalmente positivos tanto ao som quanto ao conceito. “Tales of the Dark Cult” tem atingido nossas expectativas. Ficamos no início meio receosos, pois sabemos que não estamos fazendo algo de fácil assimilação, um som muito direto e cru, ou uma sonoridade que esteja na moda, em voga...  Mas a recepção tem sido boa e cada vez mais temos pessoas curtindo o que fazemos e elegendo suas faixas favoritas.

Arena Metal PE - O material foi gravado entre 2013 e 2014. Como vocês estão de novas composições? Podemos esperar algo novo da Rattle em breve?

RATTLE: Esse cd foi um parto para sair, pois enfrentamos muitas dificuldades, desde regravação total da bateria devido a mudança de membro, às já famosas dificuldade financeiras. E assim que ele saiu demos mais ênfase na divulgação dele. Agora estamos compondo material que poderá entrar num futuro lançamento. Pode-se dizer que as músicas novas seguem a sonoridade apresentada no “Tales of the Dark Cult”, sendo que uma das novas composições já foi apresentada ao vivo e teve boa recepção. Estamos compondo sem pressa, para que as novas músicas saiam na mesma qualidade sonora e conceitual das antigas. Então, não temos uma previsão de quando entraremos em estúdio. Mas queremos ainda esse ano, se possível, gravar um vídeoclipe oficial.

Arena Metal PE - Cara, a arte interna do cd é muito boa já a capa eu achei meio estranha pois remete a bandas de heavy metal. Alguém mais foi chato como eu nessa observação? Vocês gostaram do resultado final?

RATTLE: Hahahahaha... não, ninguém falou isso antes... Mas eu posso falar por mim, já que a capa fui eu que pintei, e meu background enquanto artista plástico vem da ilustração fantástica e das HQs, principalmente dessas últimas. Alem de ser fã de artistas variados, como Frank Frazetta, Kent Williams, Derek Riggs, Eartl Norem, Bob Larkin,  também sou fã da arte das capas de vinil dos anos 1980, daí tentei emular um pouco a concepção dela, fazendo alusão à letra da faixa “The Dark Cult”. Já a arte interna resolvi fazer toda digital, já também tendo ligação com as letras.



Arena Metal PE - E como anda a agenda de show de vocês? Como é apresentar as músicas desse cd ao vivo? Vocês apresentam as faixas sequenciadas também ou misturam?

RATTLE: Devido ao momento atual do país, os shows estão meio devagar. Tivemos dois no primeiro semestre e temos duas agendas para novembro e dezembro. Estamos tentando agendar algo fora da Bahia, mas está tudo complicado. Quanto a apresentação ao vivo, é quase uma dor de cabeça montar o set. Quando somos headliners, a depender, tocamos o cd todo e mais algumas outras. Em outros shows reduzimos o set e aí começa a briga pra encaixar as músicas no tempo que nos foi dado, e cada um quer tocar uma ou outra e por aí vai. Mas nunca tocamos na ordem do cd, sempre variamos a ordem, mas algumas já são certas para abrir e fechar, como Embodiment of Evil e Hell of the Living Dead.

Arena Metal PE - Queria agradecer a vocês pelo tempo cedido. Uma última pergunta: Já que vocês mostraram que curtem muito cinema trash, se vocês escolhessem um filme que vocês curtem muito e pudessem fazer uma trilha sonora para ele, qual seria esse filme?

RATTLE: Nós agradecemos o espaço cedido. Para nós é gratificante estar em contato com o público, e esperamos ter a oportunidade de tocar em Pernambuco, que tem uma cena com bandas excelentes. Cara, de minha parte eu faria de Despertar dos Mortos (1978) ou Dia dos Mortos (1985), de George Romero, Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver (1967), de José Mojica Marins, ou O Enigma do Outro Mundo (1982), de John Carpenter.

RATTLE (Brazilian Thrash/Death Metal )
For more info:
http://www.rattlemetal.com.br/
https://www.facebook.com/RATTLEMETAL
https://www.youtube.com/user/RATTLEMETAL

http://www.reverbnation.com/rattle

Publicado originalmente em outubro de 2016 no site Arena Metal PE

terça-feira, 14 de março de 2017

BAHIA METAL FESTIVA 3 - RATTLE confirmado na terceira edição do evento!


 A terceira edição do Bahia Metal Festival está de local e formato novo, previsto para acontecer nos dias 20 e 21 de Maio, 2017 no The Dubliners Irish Pub (Rua da Paciência, Rio Vermelho, SSA-BA) contendo quatro atrações no dia 20/05 (Sábado) à noite e para o dia seguinte, 21/05 (Domingo) à tarde vamos apresentar uma grade de cinco atrações.

SALVADOR UNDER ATTACK!! - Fotos e Vídeos


Data: 04 de novembro, ingresso: r$20,00 - 20:00
Local: Dubliners Irish Pub, Rio Vermelho.






























domingo, 30 de outubro de 2016

SALVADOR UNDER ATTACK!

SALVADOR UNDER ATTACK!!

MERCY KILLING
RATTLE
IRONBOUND


Data: 04 de novembro, ingresso: r$20,00 - 20:00
Local: Dubliners Irish Pub, Rio Vermelho.

Follow us on FaceBook